Futebol na Terra da Rainha - Capítulo 5 - Wembley, capital mundial do futebol



Toda religião tem sua catedral matriz ou seu local de peregrinação, aquele onde todos os fiéis sonham em, pelo menos uma vez na vida, visitar. No futebol, a Meca, a Jersualém ou o Vaticano se concentram em um lugar: Wembley, em Londres, na Inglaterra. Nunca um estádio mexeu tanto com o imaginário dos fãs do esporte bretão como este.

Estátua de Bobby Moore, imponente, na entrada do estádio. Homenagem ao capitão de 1966

Confesso que sempre tive uma ponta de decepção por não ter tido a oportunidade de ter visitado o estádio antes da reforma, iniciada em 2003, e que o transformou hoje em uma arena moderna e espetacular. Tinha a curiosidade de ver as antigas torres, as arquibancadas ainda com pilastras que impediam a visão de um outro espectador menos afortunado. A decepção se transformou em satisfação depois do que vi. É difícil dimensionar a magnitude do estádio.

O gramado: impressionante

Desde a entrada, ultra moderna, com lembranças incríveis como o travessão no qual rebateu a bola do gol mais importante (e polêmico) da história do futebol inglês, o terceiro, na final da Copa do Mundo de 1966, contra a Alemanha. Obviamente, torna desnecessário falar que o local é extremamente limpo, bem cuidado e organizado. Isso, definitivamente, é praxe nos estádios ingleses que visitei.

No alto, o travessão do polêmico gol da final da Copa de 1966, um boneco representando o goleiro alemão e uma frase, digamos, provocativa

Placa instalada no antigo estádio durante a Copa de 1966: lembrança histórica

Se antes as torres gêmeas da entrada do antigo estádio, erguido em 1923, eram o marco de Wembley, agora o imenso arco é o que faz todos os londrinos e visitantes se lembrarem do local. Exatemamente pela dimensão do arco é que as torres, que ficaram pequenas demais, foram definitivamente retiradas.

O arco colossal e a frase, mais do que verdadeira: "inspiring memories"

Cada espaço do estádio é de se impressionar. Os vestiários, ultra modernos e funcionais, a sala de imprensa que mais parece um teatro, os espaços para recepção de visitantes e delegações e, claro o gramado, impecável. Multifuncional, o estádio pode receber diversos eventos, como shows (quando parte das arquibancadas, retráteis, dão lugar ao palco), jogos de rúgbi e até partidas de futebol americano. Neste caso, por exemplo, por se tratar de um esporte em que o número de pessoas nos vestiários é maior do que no futebol, há todo um esquema que permite a ampliação do espaço, que se torna confortável mesmo para um grupo bem maior do que o usual em jogos de futebol. O mesmo vale para os camarins em dias de shows. A acústica, aliás, é mais do que perfeita no local, que recebe todo o som produzido no local e ameniza qualquer encrenca com moradores. Não tem um vizinho que possa reclamar de barulho.

Vestiário da Seleção Inglesa: super conforto em Wembley

As torres não existem mais, mas o caminho para o Royal Box, onde a rainha e outras autoridades passam aos atletas taças e medalhas, ainda está lá, com assentos mais do que confortáveis e, durante as visitas, com uma belíssima réplica do troféu da FA Cup, a Copa da Inglaterra, cuja final é disputada anualmente em Wembley. Para se ter uma ideia da dimensão do antigo estádio em relação ao novo, inaugurado em 2007 no mesmo lugar, antes a distância do gramado para o Royal Box era de 39 degraus. Hoje, são 107.

Réplica da FA Cup no Royal Box: tradição a cada canto do estádio

A visão do gramado é espetacular e de onde qualquer torcedor possa sentar. Hoje, 90 mil pessoas, todas sentadas e sem nem um cisco para obstruir sua visão, estao espalhadas por três níveis (34.303 sentadas no nível mais baixo, 16.532 nas arquibancadas centrais e 39.165 assentos na parte mais alta). Espaços para pessoas com deficiência também são reservados e o telão tem uma definição de imagem que impressiona.

Visão perfeita de todos os setores. No fundo, a parte onde está escrito "Wembley", se retrai em dias de shows

Acessível pela estação de metrô Wembley Park, o estádio original foi inaugurado em 1923, e fica no subúrbio londrino, na região noroeste da capital inglesa. Chegou a ter a capacidade oficial de 127 mil pessoas e o primeiro evento no local foi a final da Copa da Inglaterra de 1923, entre Bolton e West Ham, vencida pelo Bolton, por 2 a 0. Foi quando David Jack fez o primeiro gol da história de Wembley. Além das finais de Copas da Inglaterra, o estádio sempre recebeu os jogos da Seleção Inglesa e foi lá onde o English Team ergeu a Copa do Mundo de 1966.

Vista de Wembley a partir da estação de metrô Wembley Park, com os tradicionais ônibus de dois andares

Wembley Park Station: é muito fácil ir de metrô para os estádios londrinos

Fechado em 2003, o velho Wembley deu espaço ao atual Wembley em 2007, quando voltaram a ser disputados no local jogos finais de copa, play-offs de divisões inglesas nferiores e até mesmo a decisão da Champions League deste ano, entre Manchester United e Barcelona (antes, no antigo estádio, as finais européias de 1963, 1968, 1971, 1978 e 1992 foram decididas lá). Mesmo reformado, Wembley não perdeu sua majestade.

Meu momento de contemplação frente a um dos estádios mais espetaculares que já vi

Comentários

  1. Majestade, mesmo. Impactante o novo Wembley.
    Abraço
    João Ricardo, blog FutPopClube.

    ResponderExcluir
  2. Cada post seu que leio é melhor que o outro. Para quem gosta de futebol e história, são incríveis.
    Parabéns pelo belo trabalho!

    ResponderExcluir

Postar um comentário