Homenagem aos mortos em Hillsborough: quando o futebol supera todas as barreiras


Já tem quase um mês que aconteceu, mas não consigo tirar a imagem da minha cabeça. Uma garota, com a camisa 9 do Everton, entrou em campo antes da partida do clube contra o Newcastle, em setembro, no estádio Goodison Park, casa do time azul. Ao lado dela, um garoto, com a camisa do rival da cidade, o Liverpool. O menino usava a camisa 6. A junção dos dois números, 96, é um dos mais emblemáticos do futebol inglês. E, naquele momento, provou o tanto que o esporte pode superar barreiras, emocionar e ser agregador.



O número 96 remente à quantidade de mortos na tragédia de Hillsborough, estádio do Sheffield Wednesday, onde, em abril de 1989, se enfrentariam pela semifinal da FA Cup Liverpool e Nottingham Forest. Com o estádio abarrotado e contando com a conivência dos responsáveis pela segurança, alguns torcedores foram prensados contra os alambrados e outros pisoteados. O episódio mudaria de forma definitiva o tratamento dado aos torcedores em estádios ingleses, mas o preço foi alto.

Telão mostra união dos clubes da região do Mersy, com o 9 em azul, o 6 em vermelho
e os escudos de Everton e Liverpool

Mas qual o motivo da homenagem singela do Everton? No mês passado, depois de 23 anos em que a torcida do Liverpool foi considerada culpada pela tragédia, um relatório independente comprovou que a polícia havia forjado o resultado da investigação. Durante mais de 20 anos os familiares das vítimas contestaram as versões oficiais divulgadas. O fato é que o problema foi causado pela falta de segurança e pela superlotação. A FA e o primeiro ministro britânico, David Cameron, pediram oficialmente desculpas às famílias dos mortos.

Everton comercializou camisa em homenagem aos mortos em Sheffield

Poderia ser um fato relacionado apenas à torcida do Liverpool, que homenagearia, como sempre o fez, os mortos, e se daria satisfeita com a verdade dos fatos divulgada depois de tanto tempo. Mas o futebol inglês festejou. E provou que não pode ter mesmo fronteiras. A importância dos acontecimentos pode ser medida pela homenagem feita no estádio do rival da cidade, da singeleza da entrada das crianças em campo, passando pelas imagens no telão, pelo minuto de silêncio dos jogadores no gramado e até mesmo por uma camisa do Everton com o número 96 que foi vendida nas lojas do clube. 


Imagem forte da tragédia: descaso, falta de segurança e superlotação

A música-símbolo que é cantada a plenos pulmões pela torcida dos Reds onde quer que eles estejam, "You'll Never Walk Alone", foi ouvida antes do jogo entre Stoke City e Manchester City, realizada dois dias antes da partida entre Everton e Newcastle. E até mesmo notícias de que parte da torcida do Arsenal cantou a música foram divulgados. Nas arquibancadas do Goodison Park, Alex Ferguson, técnico do Manchester United, maior rival nacional do Liverpool, aplaudia a homenagem.

Memorial aos mortos em Hillsborough em Anfield: emocionante


O respeito à memória dos torcedores que morreram em Sheffield chega a impressionar. A menção à chama eterna está representada no escudo do Liverpool. Em uma parte da fachada do estádio de Anfield está montado um memorial belíssimo, com o nome e a idade de todos os que faleceram, com uma chama que nunca se apaga no centro, enquanto o museu do clube faz menções ao acontecimento e a atual camisa do clube traz, na gola, um 96 ladeado de duas chamas.


Detalhe da camisa desta temporada do Liverpool


A tragédia serviu de ponto de partida para a modernização completa dos estádios ingleses, que aboliram os alambrados, adotaram cadeiras numeradas e outros benefícios que permitem a todos os torcedores assistirem às partidas com conforto - e façam com que tenham prazer de ir aos estádios. O espetáculo da Premier League e das competições disputadas no país pode ser conferido constantemente nas transmissões de jogos na TV brasileira.

As chamas eternas que ladeiam o desenho
do escudo do Liverpool: homenagem especial

O preço foi alto e dolorido. A tragédia de Hillsborough deixou muitas marcas. Os envolvidos jamais esquecerão e sempre lamentarão a morte estúpida de amigos e parentes. Os nomes, que estão no memorial de Anfield, foram também mostrados no telão do estádio do Everton no mês passado. Quando as crianças que formavam o '96' estavam em campo, foram exibidos ao som de "He Ain´t Heavy, He´s My Brother", da banda The Hollies. A tradução do título da música é tão simples e direto quanto a mensagem que o futebol deixou naquele dia: "Ele não é um fardo, ele é meu irmão".



Comentários

  1. Até hoje me emociono com a tragédia, mas os clubes ingleses foram nobres em suas atitudes pós-tragédia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário