Cruzeiro volta a errar demais e perde mais uma



Rodada melhor para tirar a corda do pescoço vai demorar para acontecer. Todos os adversários mais próximos perderam e o máximo a se lamentar é o empate do Bahia contra o Coritiba. Mas o Cruzeiro não fez sua parte, em casa, contra o Corinthians, apoiado por mais de 17 mil torcedores. Chances não faltaram, mas a fragilidade técnica do time e as poucas opções que o técnico Vágner Mancini tem em mãos foram primordiais para a equipe completar 11 jogos sem vitória - foram 4 pontos no returno até agora. E pior, perder mais uma vez.

Wellington Paulita sozinho contra seis defensores do Corinthians: Cruzeiro sem ligação entre os setores

O time mostrou mais vontade e disposição do que apresentou contra o Bahia, dando à torcida a impressão de que faria uma partida de igual para igual, na base da vontade. A opção por Fabrício em detrimento a Roger se mostrou um acerto, especialmente pelo fato de o volante, além de sua qualidade técnica, dar muito mais sangue e vontade em campo, o que, certamente contagia a equipe.

Fábio faz o possível, mas defesa anda muito exposta e bomba estoura na mão do goleiro

O Cruzeiro de hoje ainda é uma equipe sem ligação entre os setores. Por mais que Fabrício lutasse e conseguisse carregar a bola da defesa para Montillo, o ataque pouco contribuía. Keirrison usou e abusou do direito de se posicionar mal, errar passes e mostrar um medo incrível para concluir - e quando não concluía, errava o último passe. Mesmo em péssima fase, Wellington Paulista dá mais opção de jogo. E Anselmo Ramon se mostrou mais útil, mesmo jogando menos tempo.

Keirrison foi mais uma vez uma peça nula no ataque do Cruzeiro

Mais uma vez, a defesa cruzeirense ficou exposta demais. E o gol do Corinthians deixou claro isso, quando Alex teve tempo de dominar a bola e rolar para Paulinho, que veio quase do seu campo sem marcação para concluir. Mesmo irregular, Léo fez a parte dele, enquanto Victorino se virou como pode. Mas a exposição é excessiva. As laterais continuam problemáticas. Vítor defendeu mal, atacou pior ainda e, para completar, perdeu a bola no lance que originou o gol do time paulista. Diego Renan pouco acrescentou - Éverton até fazia uma partida razoável quando se contundiu. Já Marquinhos Paraná e Charles também erraram demais e as atuações de ambos comprometeram o sistema defensivo.

Montillo errou o pênalti em momento crucial, mas jogador é um exemplo de dedicação

A montagem da equipe com três volantes e um meia, que tanto deu resultado na época de Adílson Batista, parece ser a melhor opção do Cruzeiro para o restante do campeonato. Com entrosamento, o setor defensivo pode se valer dessa formação e Montillo fica com mais liberdade de criação. Mesmo com o pênalti perdido, é para aplaudir a disposição do jogador argentino. Com o filho recém operado, Montillo não só mostrou profissionalismo suficiente para entrar em campo, como chamou a responsabilidade na hora de bater o penal. Errou, o que deu uma ducha de água fria na torcida e no time. Mas é um exemplo de atleta. A reação do Cruzeiro passa pelas mãos de Fábio e pelos pés de Montillo. Os demais precisam errar menos.

Fotos: Vinnicius Silva

Comentários

  1. será q o cruzeiro cai?

    www.mundobola.com.br/Cruzeiro

    ResponderExcluir

Postar um comentário